"Deleite do Estrangeiro em Tudo o que é Espantoso e Maravilhoso: estudo de um relato de viagem bagdali", de Paulo Daniel Farah


A obra reúne a tradução anotada e o estudo de um manuscrito do século XIX sobre a estada do imã bagdali Abdurrahmán al-Baghdádi no Brasil. Após chegar a bordo de um navio do Império otomano, morou no Rio de Janeiro, em Salvador e Recife ao longo de três anos, de 1865 a 1868.

Redigido em caracteres árabes, o manuscrito contém temos em árabe, turco otomano, persa, francês, português e tupi. Perdido por mais de um século e posteriormente localizado pelo autor desta obra analítica em Istambul e Berlim, constitui o principal documento acerca da situação dos muçulmanos no Brasil no século XIX, especialmente após o levante dos malês (1835). Trata-se também do único registro até agora conhecido de um olhar árabe - e muçulmano - sobre a paisagem tropical e a sociedade multiétnica e multiconfessional que se formava à época no Brasil.

No manuscrito, o imã discorre ainda sobre a fauna, a flora, as tradições e as populações brasileiras sob o prisma de um erudito. A obra agora co-editada pelas Bibliotecas Nacionais de Argel, de Caracas e do Rio de Janeiro como o primeiro volume da BibliASPA - Biblioteca América do Sul-Países Árabes, reproduz todo o manuscrito original. Inteiramente trilìngüe, em árabe, português e espanhol, faz-se introduzir por textos de análise e comentário e possui um caderno de imagens do século XIX.


Paulo Farah

3 comentários:

Lusófona disse...

O Brasil deve ser um país de várias nações... somos tão diversos que chega ser espantoso.

Mulher Negra Campineira disse...

Paulo adorei o trabalho, ou melhor, a obra. Parabéns.
inté

Katia Manhaes disse...

Excelente trabalho. Parabéns.